Quem sou eu

Minha foto
Professor de Língua Portuguesa na Rede Estadual de Ensino - Governo do Paraná

terça-feira, 25 de julho de 2017

Crônicas em Sala de Aula / Ambrósio Bini-Alm. Tamandaré Pr.

Gabriel

Lá fora vejo a felicidade das pessoas e aqui dentro de minha casa só vejo tristeza, solidão e brigas.
 Então fujo.
 No Colégio tenho um amor, que eu imagino ser meu. “É aquele menino do 2º A, chamado Gabriel.” Ele é a pessoa que eu sempre sonhei ficar e sempre será o único que desejarei amar. Minha vida, onde vivo, não tem sentido, sem correria, apenas tristezas, diferente de outras pessoas, mesmo assim sou grato por tê-la.
 Penso: “Se um dia eu conseguir namorar com o Gabriel, eu vou ser feliz e muito grato e tenho certeza de que serei sempre fiel, companheiro.”.

Mas isso é platônico, apenas um sonho, ele nem deve saber que eu existo. Infelizmente jamais acontecerá e continuarei vendo a felicidade lá fora e a tristeza aqui dentro.


Não é o lugar, são as pessoas!

Todos concordariam comigo de que o lugar onde vivo é um lugar horrível, longe de comércio e da cidade, andar a pé seria perigoso e quem tem carro sofre com estradas esburacadas, muitas outras situações tornam o Bairro ruim, uma tristeza para os moradores principalmente no inverno e dias chuvosos, por isso é pouco conhecido e lembrado pelo poder público.
No entanto é o lugar onde nasci para mim ele é maravilhoso, desde pequeno corria pelos campos e barrancos, brincando e me divertindo com os poucos amigos que ali também moravam, como se esquecer do lugar onde minha infância foi, de certa forma, muito legal e divertida.  Lembro-me ainda como se fosse hoje das peripécias que me faziam tirar alguns gritos estridentes da minha mãe e do  meu pai, as surras que me puseram no bom caminho da vida que tenho hoje. Agradeço a Deus por ter tido tudo que tive... Um lar!
Como dizer que o lugar onde vivo é ruim? Ruim mesmo são as pessoas que não guardam nas suas memórias lembranças do passado que os tornariam verdadeiramente mais humanos e assim mais preocupados com Os Lugares Onde Vivem!!!

Rogério nº26 9B

quarta-feira, 29 de março de 2017

Projeto Aluno Excelência

Colégio Estadual Ambrósio Bini – Ens. Fundamental e Médio
Rua: Bertolina K. de Oliveira 869
Bairro: Sta Terezinha Almirante Tamandaré – Paraná

Fone: 41 – 3657-1333  / 3698- 0542 e-mail: attambrosio@seed.pr.gov.br



    

        Projeto Aluno Excelência
                     O Projeto Aluno Excelência do Colégio Estadual Ambrósio Bini deu início no ano de 2016 com o objetivo de valorizar os alunos pelos seus desempenhos desenvolvidos ao longo do ano letivo. Esta valorização é também um incentivo àqueles alunos que, muitas vezes, não levam a sério os estudos acabam reprovando e ou passando por conselho de classe ficando muito aquém do que deveriam assimilar dos conteúdos das disciplinas trabalhadas, não conseguindo acompanhar o ano letivo seguinte.
                 O projeto inicia com a entrega de certificados aos alunos que obtiveram notas acima da média em todas as disciplinas por Trimestre. Logo após o término do Trimestre é colocado em edital um Ranking, onde fica exposto, em ordem, com melhores notas até o quinquagésimo lugar. A cada Trimestre é feito uma atualização pelo desempenho, podendo alterar a colocação dos alunos. Com isso se inicia uma disputa, sadia, pela conquista de estarem entre os vinte Alunos Excelências, que serão premiados com troféus e brindes, brides estes doados por ex-alunos, empresas, indústrias e comércio local.
                Em 2016 o Aluno Excelência foi Luiz Gustavo Lara Misga, com uma média geral de 94,4. Neste ano conseguimos premiar com brindes até o terceiro lugar, e troféus personalizados pelo Colégio até o vigésimo lugar. Para 2017 é esperado mais brindes. Aproveito este momento para pedir o apoio de toda comunidade Ambrosiana em nos ajudar com a premiação, toda colaboração é bem vinda.

                O Col. Est. Ambrósio Bini está empenhado em melhorar a qualidade do Ensino e na Formação de Cidadãos comprometidos com o futuro da Sociedade Tamandareense consequentemente Paraná e Brasil. Vamos que vamos a caminho da Excelência...

Imagens relacionadas:








Crônicas em sala de aula: PIPA NA FAVELA

PIPA NA FAVELA

 Era um domingo de muito calor. Quando eu acordei ao meio dia e fui dar comida para meu cachorro, logo que olhei para fora eu vi que tinha muita pipa no alto. Dei comida para meu cachorro e em seguida peguei um pão, comi rapidamente, por causa das pipas, em seguida fui para a rua, era um festival de raia ''PIPA'', estava lotado na favela.
Eu fui até minha vó e pedi dinheiro para minha mãe, pois ela estava lá fazendo almoço. Ela me deu dinheiro e fui comprar uma pipa. Quando a ergui, cortei várias pipas. Era fim de tarde, já estava se acabando o festival, de repente chegou a polícia e começou a apreender os fios dos meninos, com cerol, mas isso estava longe de mim, eu recolhi meu fio e sai correndo.
No final disso a loja que vendia cerol foi fechada e homem foi preso, pois o cerol mata, se não cuidar, e eu fiquei chocado, pois nunca tinha visto isso no lugar onde eu morava.
Soltar pipa é legal, muito divertido, mas tem que ter muito cuidado, várias pessoas já morreram por causa dos fios com cerol. No dia seguinte teve poucas pipas, pois a polícia estava de olho na molecada.

Final das contas minha mãe ficou braba, e nunca mais me deu dinheiro para eu comprar pipa.

segunda-feira, 27 de março de 2017

Aqui não é o meu lugar

Aqui não é o meu lugar
(...)
 E eu me vendo em um labirinto sem fim, cheio de truques e muito escuro, quase não consigo saber onde estou o que eu estou fazendo e para onde vou.
 No meio desta confusão, vivo com medo, caminhando solitário, me sentindo abandonado por tudo e por todos, sem esperanças.
Depois de muito sofrer consegui enxergar uma luz, corri atrás desta luz e como se não tivesse fim não a alcancei e lentamente foi se distanciando até que ela se apagou me deixando novamente na escuridão.
 Sem reação caí, me desesperei, chorei, por mais que gritasse, pedisse ajuda, ninguém e nada me confortavam.
Tempos de angústias e sofrimento me consumiam, sem perceber o tempo e a tristeza que este lugar me causava desvaneci e milagrosamente vi a figura de um Anjo, ele me estendeu a mão e me levou com ele para o fundo de um lindo lago, com águas cristalinas e tranquilas e ali encontrei a saída deste labirinto incrédulo que me consumiu...
Juan Eduardo 9º A

segunda-feira, 13 de março de 2017

Crônicas em sala de aula


Janela ao Sol

Janela ao sol. Estico o pescoço com dificuldades e olho para fora. 

Pessoas apressadas, buzinas, olhares fugidos.

Ouço vozes, muitas, desconexas, sem fim nem começo. Sinto 

cheiros estranhos, não há nada mais o que se provar. Não há mais 

gostos, apenas releituras bizarras, fedor.

Os toques são sempre involuntários. Esbarros. Ninguém teve a 

intenção. O emaranhado das relações parece mais novelos de lã 

embaraçados. Ninguém sabe onde tudo começa.

Estou cansado, minha vista dói. Não suporto mais essa confusão.

Encolho o pescoço, fecho a janela, olho para o quarto. O espelho 

no fundo revela-me, descubro, então, que eu estava dentro de mim.


Lucas E. de Paula nº 21 9b

sexta-feira, 10 de março de 2017

Texto sobre: Um Ideal de Educação e Formação Cidadã ( Col. Est. AmbrósioBini)


Um Ideal de Educação e Formação Cidadã

      O sucesso do Colégio Estadual Ambrósio Bini e sua Comunidade dependem muito das Famílias, digo isso em conformidade há muitos anos de Estudo sobre Educação.
            É quase impossível conseguirmos tão almejado sucesso sem o apoio da comunidade, principalmente dos pais e ou responsáveis pelos alunos. Deparamo-nos diariamente na Instituição com um pensamento negativo que se tem sobre Ensino Público, infelizmente este é um dos aspectos mais comum e viral que assola nosso dia a dia, chegando a tal ponto de uma grande maioria não acreditar que seus filhos possam chegar a ter um sucesso futuro.                 Além disso, existe àqueles que acham, acreditam que a Escola está “jogando contra” seus filhos, veem a Escola como inimiga.
       Toda vez que implantamos Conceitos Éticos, Morais e Disciplinares numa proposta de melhorarmos nossa Educação damos de encontro com um forte confronto com alunos e famílias. Podemos colocar como um exemplo o uso do Uniforme Escolar. (Antes de qualquer coisa quero salientar que todas as instituições no topo de escolas modelos, seguem “religiosamente” esta norma). Por que é tão difícil passar o conceito e conscientização deste critério para boa parte dos nossos alunos e familiares?

Alguns argumentos favoráveis ao uso do uniforme:

É prático - Preserva a Infância - Inibe o Consumismo - Minimiza a Vaidade - É Econômico - Diminui o risco de Bullyng - Proporciona Segurança - conscientiza a Disciplina - Equilibra as Diferenças Sociais - Passa Responsabilidade.. 

O Colégio Estadual Ambrósio Bini está querendo Transformar uma realidade que há muito tempo está enraizada nos solos das escolas públicas. Queremos resgatar a Identidade da Escola, uma Escola sem Identidade é como um vaso vazio, não encanta, não floresce.
Para que isso se torne possível estamos executando algumas ações como:
            A Conscientização do uso do Uniforme; A conscientização da entrada no horário certo; A valorização dos bons Alunos com Certificados; Um Ranking Trimestral dos 50 melhores alunos e a Premiação do Primeiro Colocado; Passeios Pedagógicos para todas as turmas, com cronogramas de locais; Parcerias com outras entidades Públicas e ou Privadas, como OPET, DINÂMICO, PREFEITURA MUNICIPAL, INSEP, etc...; A participação de jogos Escolares e ou abertos; Programa Escola Aberta aos Sábados para atividades com a Comunidade; Projeto do PEV (Programa Egresso Voluntário); O fortalecimento das Instâncias Colegiadas, APMF, Conselho Escolar e a Criação do Grêmio Estudantil; Benfeitoria da estrutura da Escola; Resgate das Tradições Culturais etc...
         Além de tudo isso, contamos com um excelente grupo de Funcionários, Professores, equipe Pedagógica, todos com a mesma vontade de Transformar nossa realidade num Colégio de Excelência.
         Para finalizar pedimos a colaboração de toda Comunidade Ambrosiana para fazer parte desta Transformação, não somos o inimigo o inimigo está lá fora esperando um aluno despreparado e vulnerável para consumi-lo. Confie a nós seus filhos e prometemos um futuro promissor e magnífico, fiquem do nosso lado é na nossa luta, lutemos juntos e seremos vencedores. Vamos que Vamos rumo à Excelência.
Anderson Luiz Ferreira da Silva

Imagens Relacionadas: